Projetos de Pesquisa e Extensão

A seguir, conheça um pouco sobre os projetos desenvolvidos pelos professores do curso de Geografia!

Professor Gilberto Luis Gonçalves

Título: "Diagnóstico ambiental da parcela urbana, da microbacia hidrográfica do Rio Vermelho, no município de União da Vitória-PR relacionada com as diferentes formas de uso e ocupação do solo".

RESUMO DO PROJETO DE PESQUISA: As bacias hidrográficas, sempre foram ocupadas pelo homem, mas com o crescimento populacional observado nos últimos séculos, induz o ser humano a ocupar essas áreas, de forma desordenada o que leva há uma situação conflituosa nas relações homem/meio natural, visto que por si só, estes espaços geográficos, já demonstram uma complexidade muito grande nas suas relações, quer de caráter físico e biológico. Diante deste, quadro, atualmente, há um encaminhamento bem fundamentado de que a bacia hidrográfica é a unidade territorial mais adequada para o tratamento dos componentes e da dinâmica das interrelações concernentes as formas de uso e ocupação desses espaços. Mas o descaso, e as consequências sentidas, apontam para a necessidade da compreensão de como, se processa esses conflitos promovidos pela presença do homem nessas áreas, que são cotidianamente mostrados a sociedade através de alertas e/ou denuncias efetuadas pelo próprio homem, que faz parte desta relação como o meio que esta inserido. Salienta-se que esse pensamento voltado ao entendimento dessas relações, vem ganhado força nas ultimas décadas. Concomitantemente com essa realidade, alguns pesquisadores trabalham para compreender esses processos, bem como para encontrar e apresentar, medidas que minimizem os efeitos negativo considerados pelo homem, partindo de alguns parâmetros estabelecidos pela comunidade cientifica. Para a compreensão, desses processos, sabemos que é extremamente trabalhoso e cheio de particularidades, mesmo assim, é um trabalho desafiador. Vale ressaltar que atualmente as bacias hidrográfica, independente do seu tamanho, esta recebendo um novo olhar, considerando uma abordagem sistêmica/integradora, isto, é considerando as particularidades de cada um dos seus elementos, das suas relações e de seus atributos, objetivando alcançar a melhor forma de apropria-se deles. Sendo assim, propomos um novo trabalho, dentro da microbacia hidrográfica do Rio Vermelho, mais precisamente, na área que compreende o perímetro urbano de União da Vitória - PR. Se conseguiremos alcançar os nossos objetivos, considerando as diversas formas de uso e ocupação do solo, mapear o rio considerando a legislação vigente, no tocante a mata ciliar e os impactos ambientais amparados em metodologia reconhecida e poderemos iniciar um banco de dados que auxiliem no planejamento e gestão ambiental, da referida área.


Professor Marcos Antonio Correia

Título: "Canto coral: uma possibilidade cultural na educação integral"

RESUMO DO PROJETO DE EXTENSÃO: O Projeto Canto Coral, uma possibilidade cultural na educação integral visa desenvolver os saberes artístico-cultural e didático-pedagógicos na comunidade acadêmica mediante a prática de elementos musicais e do canto coral. Pelo seu espírito inovador e sua abrangência artística e cultural transcende o ambiente acadêmico e chega à comunidade em geral visando a inter-relação e trocas de experiência. Assim como atende as perspectivas do ensino superior, que além da pesquisa e ensino, visa a extensão. Por outro lado, além de suprir as necessidades mencionadas, divulga a instituição por meio de apresentaçãoes do Coral Universitário em âmbito local, regional e nacional, quando por ocasião de participações em eventos externos como: encontros de corais, festivais em geral, participação em encontros, festivais universitários, concursos, solenidades e outros eventos.

Professora Helena Edilamar Ribeiro Buch

Título: "Aulas de Geografia: investigando a criatividade e estratégias"

RESUMO DO PROJETO DE PESQUISA: A investigação desta pesquisa interroga os significados que os docentes do ensino da Geografia atribuem às estratégias utilizadas em uma aula, objetivando investigar o lugar que as estratégias de ensino da Geografia ocupam como elemento componente do processo pedagógico de uma aula. Para viabilizar a temática que se pretende abordar, focamos três aspectos: a) o significado atribuído às estratégias de ensino pelos docentes; b) como os docentes veiculam saberes da ciência geográfica em suas aulas; c) se as estratégias de ensino utilizadas estão vinculadas ao Mecanicismo. A proposta metodológica para desvendar esta investigação segue três etapas: Primeiramente construir uma base teórica acerca dos conceitos-chave ligados às estratégias de ensino, suas ideologias, oscilações e evoluções determinadas pela dinâmica social dentro da história e em trânsito, que sustentam concepções sobre estratégias de ensino; no segundo momento buscar-se-á vincular informações em entrevistas semiestruturadas para 10 professores em exercício experientes no Ensino Médio e Fundamental e 10 acadêmicos no processo de formação, sobre suas estratégias positivas em União da Vitória, PR; e no terceiro momento pretende-se compartilhar experiências positivas ou não, potencializando propostas metodológicas vencedoras no ensino da Geografia. Nossa compreensão inicial, anterior à investigação, identifica que as estratégias de ensino estão conectadas à práxis educativa, entendida na perspectiva intencional, motivadora, criativa e transformadora, com base nas contribuições teóricas de pesquisadores como Saviani (1983;1986), Paulo Freire (1986), Cavalcanti (1995; 2008) e Vygotsky (1993;1988). Por fim, pretende-se publicar práticas pedagógicas vitoriosas no ensino da Geografia, elencadas e sintonizadas durante o contato com os professores e alunos, principais sujeitos desta investigação.

Professor Sérgio Roberto Ferreira dos Santos

Título: "Abelha não faz mal, faz mel: o ABC das abelhas sem ferrão na construção de leitura de Meio Ambiente na Educação Infantil"

RESUMO DO PROJETO DE EXTENSÃO: As abelhas são insetos de grande utilidade para o homem, sendo os principais polinizadores de muitas espécies de flores, e, ao fazer este ato, garante a produção de frutos e sementes, que são amplamente utilizados na alimentação humana. Ao mesmo tempo, a Colméia das abelhas é entendida como uma sociedade coletiva, educadora, que age envolvendo valores: de mercado, de conveniência e de valor moral. No Brasil, existem dois tipos de cultivos de abelhas, sendo a mais produzida a Apicultura, ou cultivo de abelhas com ferrão ou africanizadas (Apis Mellifera), e em segundo plano esta a Meliponicultura, criação ou cultivo de abelhas sem ferrão, sendo que estas são encontradas em numero de até 300 espécies em todo Brasil. As vantagens da Meliponicultura esta na ordem de que não é necessário muito investimento em indumentária e equipamentos para o cultivo, e a operacionalidade é baixa, mas o que queremos ressaltar, com ênfase, neste projeto, é o caráter preservacionista da criação de meliponídeos abre novos rumos sobre as reflexões acerca de meio ambiente e conservação das florestas e sua fauna. Como o Brasil as Abelhas sem Ferrão são encontradas em todos os ecossistemas e são responsáveis por 90% de toda a polinização das plantas nativas, além de serem insetos sociais e produtores de alimentos, de forma direta e indireta. Cremos assim na falta de divulgação que dissemine a importância que estas abelhas detém sobre os ambientes ecológicos, e, portanto, justificamos que uma das grandes transmissoras destes conhecimentos e interesse possa ser a Meliponicultura no processo de ensino aprendizagem nas escolas, partindo inicialmente da priori da Educação Infantil. As oficinas a serem aplicadas tendem a criar instintivamente uma construção coletiva de saber com o confronto de questionamentos e experiências, e assim, o saber não ira se constituir em apenas um resultado final de processo de aprendizagem, mas sim em uma construção de conhecimento, em que educadores e educandos desenvolvam uma relação de ensino-aprendizagem.

Professora Alcimara Aparecida Föetsch

Título: "Religiosidade, tradição e identidade: uma abordagem geográfica a partir dos espaços sagrados dos cemitérios no município paranaense de São Mateus do Sul/PR".

RESUMO DO PROJETO DE PESQUISA: A presente pesquisa emerge das proposições teórico-metodológicas da Geografia Cultural e das Representações e propõe discutir a relação entre religião, tradição e identidade tendo como espaços simbólicos: os cemitérios. Conceitualmente, analisa-se a forma com que a identidade é construída tendo por base a tradição religiosa. Em seguida, no recorte espacial pretende-se identificar, perceber e compreender momentos históricos, questões sociais, econômicas e culturais das sociedades através do sagrado/profano existente na paisagem (material) e na memória religiosa coletiva (imaterial), formadora da identidade cultural e territorial dos lugares. Para tanto, especializa-se a pesquisa no município paranaense de São Mateus do Sul buscando compreender os vínculos emocionalmente fortes que fazem destes espaços sagrados locais de peregrinação, tradição, religiosidade e, por fim, identidade.

Professora Diane Daniela Gemelli

Título: "A FORMAÇÃO TERRITORIAL DO CONTESTADO: processos, conflitos e resistências"

RESUMO DO PROJETO DE PESQUISA: o Território Contestado é o objeto de investigação desta pesquisa. Para tanto, objetiva-se analisar a formação territorial do Contestado por meio dos processos de expansão geográfica do capital, do estabelecimento de conflitos territoriais e das resistências construídas pelos sujeitos sociais. Teoricamente a pesquisa se embasa em geógrafos, como; Andrade (2004), Raffestin (1993) e Fraga (2006), além de pesquisadores que se dedicaram ao estudo do Contestado, como; Auras (2001), Gallo (1999) e Vinhas de Queiroz (1966). As metodologias qualitativas, com base em Hall (1992), Meihy (2002) e Kaiser (2006), devem orientar os procedimentos metodológicos, nesse sentido serão realizados trabalhos de campo e entrevistas fundamentadas na História Oral.


Professor Silas Rafael da Fonseca

Título: "O estudo da questão agrária na microrregião de União da Vitória a partir da abordagem do conceito de latifúndio"

RESUMO DO PROJETO DE PESQUISA: A área estudada tem como principal característica a monocultura de árvores (pinus e eucalipto) gerando desdobramentos sociais, ambientais e econômicos, tanto para populações do campo quanto da cidade. Parte-se do entendimento de que compreender a questão agrária na microrregião de União da Vitória, perpassa pela atualidade do conceito de latifúndio. Para tanto, refuta-se a carga ideológica do discurso de desenvolvimento econômico gerador de divisas da monocultura, isso porque, a agricultura capitalista tem gerado concentração de terra e renda na região, provocando a pobreza e a desagregação de modos de vida. Assim, a pesquisa buscar apontar alguns elementos de como se expressa territorialmente, a monocultura de árvores na microrregião de União da Vitória e quais suas implicações para as populações do campo e da cidade.


Gostou de algum e quer participar?

Entre em contato agora com o professor pesquisador e seja bem-vindo!